Se eu fosse Primeiro-Ministro

a opinião tem uma origem

Um caso de promiscuidade

Posted by Vitor Oliveira em Abril 22, 2008

Vitalino Canas acusou de má-fé a bancada parlamentar do Partido Comunista Português. Tudo isto porque o PCP pediu que a Comissão Parlamentar de Ética analisasse um caso ilegal.

Não percebo o espanto de Vitalino. Será que este pensa que pode ser deputado e celebrar contratos com entidades públicas? Eu respondo: Não pode! Não sou eu que assim decido. É o “estatuto do deputado”. Vitalino, actualmente, acumula o cargo de deputado e porta-voz do Partido Socialista com o de provedor do trabalhador.

Em sua defesa, o deputado do PS, diz que as suas funções visam os direitos dos trabalhadores e não das empresas. Dito desta forma quase que me convence que uma pessoa cujo salário é pago pela associação das empresas do trabalho precário consegue ter tal preocupação. Isto diz muito sobre a promiscuidade entre o governo e o patronato. Resta esperar pela decisão que a Comissão de Ética tomará amanhã.

Vitor Oliveira

Anúncios

2 Respostas to “Um caso de promiscuidade”

  1. paulosousa said

    E o Canas
    até já calado
    é ridículo.

  2. Luis Moreira said

    Algum dos deputados do PS ou do PSD não trabalha para as empresas que negoceiam com o Estado?

    É uma completa vergonha!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: