Se eu fosse Primeiro-Ministro

a opinião tem uma origem

Archive for the ‘Política’ Category

Eleições?

Posted by Vitor Oliveira em Março 29, 2011

A primeira sondagem desde que o Primeiro-Ministro apresentou o pedido de demissão não teve surpresas, infelizmente continua a existir, nas sondagens, uma fraca percentagem eleitoral para o CDS. Porém, mais importante que a previsão eleitoral, para mim, foi a elevada percentagem de inquiridos que acredita na continuidade das políticas de austeridade.

Os sinais são claros: o país está pronto para a austeridade, disponível para o sacrifício e o continuar das políticas socialistas, não está disponível para que José Sócrates continue a ser o chefe do Governo. Não é uma questão partidária, o importante neste momento é eliminar a incompetência. Basta de reformas que nada reabilitam, chega de políticas de estabilidade e crescimento que são incomportáveis e sem resultados práticos que justifiquem o esforço exigido.

Haveria um maior esclarecimento político caso os candidatos fossem escolhidos pela população. Compreendo que o país neste momento não comporta eleições, (mas chegará o momento). Portugal não pode calar perante a inconsequência das políticas económicas seguidas pelo governo. E, em cenário de eleições antecipadas, que haja proveito. Melhor que o PS alterar o seu secretário geral, seria a intervenção audaz do Presidente da República.

“Meu amigo é quem me socorre não quem me lamenta.”, Thomas Fuller

Posted in blog, Política, Sociedade | Com as etiquetas : , , , , | Leave a Comment »

Prós e Contras?

Posted by Vitor Oliveira em Março 1, 2011

O debate de hoje foi, para mim, a maior desilusão social dos últimos tempos. Um festim de contras em que muitos dos jovens presentes, alguns deles dirigentes associativos, enterraram a própria geração. Houve uma banalização do tema. Não queremos compaixão, exigimos respeito. Não chega criticar temos de fundar novas bases sociais. Não será um decreto-lei, um parecer jurídico ou uma “injecção social” de auto-confiança que vão melhorar a situação, será mais demagogia.

As universidades tiveram um forte crescimento nos últimos anos: aumento do numero de vagas e mais cursos disponíveis. Felizmente o ensino ficou mais publico. No entanto, o mercado de trabalho não teve o mesmo comportamento. A culpa será da crise, mas não só. É também da corrupção, é da austeridade do mercado imobiliário, do facilitismo intelectual presente no nosso sistema de ensino e da falta de coragem para arriscar.

É necessário cultivar o empreendedorismo nos jovens. Urge que Bolonha seja uma realidade. Poderá ser necessário mudar de região, talvez atravessar fronteiras, somos profissionais do mundo. Porém a sociedade terá de ser moldada para o fenómeno: rendas jovens existentes e acessíveis, facilidade de integração social e vontade. Acima de tudo, temos de ser corajosos e audazes.

Posted in Política, Sociedade | Com as etiquetas : , , , , | 4 Comments »

Para Refletir (III)

Posted by Vitor Oliveira em Fevereiro 9, 2011

Todos afirmam, novamente, que “Portugal está decadente!” Será a história um processo cíclico?

“Não tem de ser assim. Chora-se demais e trabalha-se de menos. Há excesso de Jeremias no nosso país. Choram com saudades do antigo templo, mas choram sentados. Uns atribuem a nossa decadência às crises políticas, outros às influências árabes, para não irem mais longe buscar as célticas.

Não podemos ser uma nação industrial porque nos falta o carvão, que é o pão da indústria. Temos de ser um povo essencialmente agrícola, mas da agricultura Não estamos a tirar metade do proveito possível por serem velhíssimos os processos usados.

Quem se importa com isso? Trabalhar o menos possível, sob a tutela do Estado que lhe garanta o suficiente à vida, eis o sonho do preguiçoso português.”, Oliveira Salazar (com 19 anos de idade, 1909)

“Em primeiro lugar, à igreja pouco importa que o governo seja de um só ou de muitos. Tanto lhe dá que seja republicano ou Monárquico, desde que se aplique ao bem comum.

Depois, o Estado não pode ser o reflexo da multidão soberana; o poder civil e político não vêm do povo; todos os grupos de Homens necessitam de um chefe supremo.

Em terceiro lugar, os católicos devem empenhar-se na vida pública e chegar-se aos mais altos cargos de estado.

No que respeita as relações entre poder eclesiástico e o poder civil, eles devem estar separados com nitidez; cada um é soberano no seu género, ainda que deva de existir entre ambos um sistema de relações bem ordenado.

Finalmente, a liberdade excessiva é um erro! Pensar e poder publicar os próprios pensamentos não é por si um bem de que a sociedade tenha de se felicitar; e antes a fonte de muitos males.”, Oliveira Salazar

“Não me dês pobreza nem a riqueza. Dá-me o pão que for necessário, para não suceder que, estando farto, te negue, ou que, empobrecido, venha a roubar.”, Agur in Bíblia

“A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe”, Bíblia Provèrbios 29.15

Posted in Política, Sociedade | Com as etiquetas : , , , , , | 1 Comment »

FMI (parte I)

Posted by Vitor Oliveira em Janeiro 10, 2011

Sem querer ser mais um dos velhos do Restelo, mas sendo, afirmo: é impossível ao nosso Governo resistir a uma acção do Fundo Monetário Internacional em Portugal.

Primeiro porque quando o Governo, em conjunto com o PSD, aprovou o PEC afirmou solenemente que eram medidas necessárias e suficientes. Mais tarde, percebeu o erro e aprovou, novamente com o apoio do PSD, o PEC II. Novo fracasso. Em segundo lugar seria um sinal claro que o orçamento de estado foi mais um erro ministerial. Um Governo que prometeu 150.000 postos de trabalho, ponderou uma diminuição do IVA para 19% em 2009 e defendeu o não pagamento de portagens nas SCUT’S, não pode no fim de tantas falsas promessas continuar o seu mandato, sobretudo, se for confirmado o fracasso. É grave constatar que o paraíso eleitoral se transformou no pesadelo da austeridade económica! Tudo por uma causa, a típica desculpa da incompetência.

Com isto não estou a defender a entrada do FMI. A entrada deste organismo não seria benéfica, a especulação não iria diminuir, pelo contrário e à semelhança do que está a acontecer na Irlanda, iria aumentar. Sustento apenas uma convicção pessoal, se tal acontecer o Governo deve assumir que foi, e é, a completa personificação do fracasso! Não está em causa a boa vontade. Conta apenas a eficiência.

“A diferença entre pessoas comuns e pessoas bem-sucedidas é a percepção e resposta ao fracasso.”, John Maxwel

Posted in Política | Com as etiquetas : , , , , , | 2 Comments »

Poder ou justiça?

Posted by Vitor Oliveira em Janeiro 5, 2011

Até ao momento já deram entrada nos tribunais 40 providencias cautelares contra os cortes salariais que o governo pretende implementar. Numa altura em que os media se focam no caso BPN e nas eleições Presidenciais, esta medida despoletou um forte interesse. Apesar de ser necessário defender todas as causas contra a duvida e o sentimento de injustiça, sobretudo, quando estas duvidas são Constitucionais, é mais importante manter a ordem e a hierarquia governamental bem definida. Tal como defende Miguel Sousa Tavares, “colocar os tribunais comuns, de diferentes comarcas, a julgar as Leis do governo e a decidir sobre a sua inconstitucionalidade pode levar a uma usurpação do poder“.

John Locke, 1689, em ‘Segundo Tratado sobre Governo Civil”:
“[…] sendo razoável e justo eu devo ter o direito de destruir aquele que me ameaça com destruição.” [pg 14] should we?

Posted in Leis, Media, Política, Se eu fosse Primeiro-Ministro | Com as etiquetas : , , , | Leave a Comment »

Manuel Alegre, o candidato (II)

Posted by Vitor Oliveira em Dezembro 14, 2010

Manuel Alegre, o destrutivo candidato Presidencial, tentou, mais uma vez, manchar a imagem pública, enviar indirectas e condenar o passado de Cavaco Silva. Sei que Manuel Alegre afirma solenemente que “não condena o passado de ninguém” não é uma “pessoa de criticar indirectamente”. No entanto qual o motivo e qual o objectivo, da seguinte afirmação: “Eu não fui dar o meu nome á PID a dizer que era bem comportado”. Qual o motivo que leva o candidato Socialista a enaltecer o seu passado com afirmações pejorativas para outrem, a angariar votos com constantes críticas e, acima de tudo, a não promover os seus ideais?

“Cuidado com o desespero” até porque “a minha vida antes do 25 de Abril foi muito simples, muito transparente”, respondeu hoje, Cavaco Silva. E com esta frase disse muito e definiu tudo. Está na hora de iniciar a campanha, de fazer política e de suscitar valores.

“A coragem alimenta as guerras, mas é o medo que as faz nascer.”, Émile-Auguste Chartier

Posted in Política, Se eu fosse Primeiro-Ministro | Leave a Comment »

Governo trava ISEL

Posted by Vitor Oliveira em Dezembro 2, 2010

O presidente do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa, José Carlos Quadrado, tentou aumentar os índices remuneratórios dos Docentes que se encontram no Instituto desde 2004. O esforço financeiro ao qual o ISEL estaria sujeito não seria desproporcionado: 600 mil euros num orçamento anual de 28 milhões. Esta medida teria como objectivo amenizar o impacto da nova lei de tributação bem como motivar os professores deste Instituto. José Carlos Quadrado afirma que «Os professores universitários têm os vencimentos congelados desde 2004 e estão a começar a perder a motivação». Muitos, acrescenta, acabam por sair do país à procura de reconhecimento.

Seria uma boa medida, ideal para demonstrar a preocupação do Instituto para com o bem-estar dos seus Docentes. Porém assistimos, mais uma vez, a uma pretensa irregularidade. Já não é a primeira vez que tal sucede, deveria haver mais cuidado. Não é benéfico para nenhum elemento da família ISEL que estas notícias venham a público, podendo inclusive suscitar uma ideia incorrecta relativamente ao Instituto. No entanto, ilegalidades à parte, apesar de ser uma medida justa e apropriada, numa altura de crise em que todos fazemos sacrifícios, haverão investimentos mais assertivos a serem feitos.

“Dar é o verbo mais curto da primeira conjugação. Não dar é o mais barato.”, Noel Clarasó

Posted in Política | Com as etiquetas : , , , , | 6 Comments »

José Sócrates

Posted by Vitor Oliveira em Novembro 3, 2010

Posted in Política | Com as etiquetas : , , , , , | 1 Comment »

Recandidatura de Cavaco Silva

Posted by Vitor Oliveira em Outubro 26, 2010

Será apresentada hoje a recandidatura de Cavaco Silva ao cargo de Presidente da República, a apresentação será no mesmo local que o actual Presidente da República utilizou há cinco anos. Os mandatários deverão ser maioritariamente os mesmos, dos quais destaco Medina Carreira. Como nada acontece por acaso, muito menos no mundo político, António Lobo Xavier, ex-dirigente do CDS, será o mandatário pelo Porto. É de concluir que na reunião do Conselho Nacional do CDS, a decorrer amanhã, se avance para um apoio à recandidatura de Cavaco Silva. Com esta (hipotética) decisão fica de parte uma segunda candidatura de direita. Algo que lamento. Não obstante do apoio ao actual presidente, o poder de escolha em todos os espectros políticos seria um apelo ao voto e um passo para o engrandecimento político.

Creio que Cavaco Silva irá vencer as presidenciais. Algo que será, face ao cenário actual, desejável. Por um lado não terá a pressão do agrado as massas na hora de decidir, vetar e/ou intervir, uma vez que uma segunda recandidatura não é permitida. Por outro, não existe uma real oposição. Ao contrário do que se passou há cinco anos Manuel Alegre não tem sido construtivo. Será por falta de um candidato de uma facção política semelhante? Espero para ver o que mudará na “campanha” de Manuel Alegre e quais as ideias defendidas por Fernando Nobre.

“Seria estranho num país em que toda a gente – responsáveis – mente, e que não se retrata, passasse a ser quem alerta para as verdades que tivesse que se retratar”, Manuela Ferreira Leite. (A frase foi escolhida para credibilizar e simplificar a interpretação da política nacional.)

Posted in Política | Com as etiquetas : , , , , , , | 1 Comment »

E agora?

Posted by Vitor Oliveira em Outubro 8, 2010

Marques Mendes teve uma ideia, no mínimo, ousada. Na minha opinião; sensata, equilibrada, ponderada e, acima de tudo, coerente com a situação actual e com o esforço pedido aos Portugueses. Só não percebo qual o motivo pelo qual o PSD em 2002 não levou esta ideia avante.

Infelizmente haverá muitos compadrios a ser defendidos, muitos favores a ser cobrados. Acredito que não será uma medida que prevaleça, sobretudo com o nosso espectro político, no entanto, acho que deve ser incentivado o debate. Extinguir alguns Institutos e Fundações, aumentar o controlo das entidades administrativas regionais e abolir as comissões nacionais que não fazem sentido, simplificaria em muito o controlo financeiro, administrativo e diminuiria o abuso de poder.

“Não existem países subdesenvolvidos. Existem países sub administrados. ” ,Peter Drucker
“As pessoas inteligentes são capazes de simplificar o complexo, os tolos, no entanto, tendem a complicar o simples”, Gerald Grumet

Posted in Política | Com as etiquetas : , , , | Leave a Comment »

Orçamento de Estado: A polémica

Posted by Vitor Oliveira em Setembro 23, 2010

Estará tudo doido? Portugal está neste momento, segundo Teixeira dos Santos, a lutar arduamente para que o défice, este ano, seja 7,3%. E temos a excelente meta dos 4,5% de défice para o ano. Alguém acha isto normal? Para mim, nem a crise o justifica! Teixeira dos Santos perguntou hoje onde poderá o estado poupar, através de cortes com a despesa pública, os 4500 milhões de euros necessários para a redução do défice em 2011. Que tal esta solução; apertem vocês o cinto, desistam do aumento de 2000 milhões de euros com a despesa pública prevista para o próximo ano, controlem as empresas e as obras públicas, reduzam as viaturas ao serviço e controlem as fundações, sanguessugas, que existem à custa do estado e em nada contribuem para o bem-estar da população

Crise para quem? Chega de um país pobre, endividado e sem o mínimo de receita face à despesa a pagar os luxos da classe política. Que se leia: assessores, carros de luxo, quadros da polícia a servirem de motoristas, viagens e gastos pessoais.

Apesar de tudo isto:
A comunicação social, sempre encarregue da devida lavagem cerebral, anda preocupada porque não houve um pré-acordo entre PSD e governo. O acordo não existiu agora mas vai existir, haverá mais um caso limiano, ou o que surgir, a viabilizar o orçamento para 2011.

Pedro Passos Coelho foi visitar a feira de Arouca, uma boa escolha, recomendo o bife de carne Arouquesa e o vinho verde da zona. (E se não for pedir muito, proponha, colabore e defenda um povo que sempre trabalhou.)

Sócrates foi de viagem a Nova Iorque, claro que em representação do aparelho de estado, estou certo. (Ao Primeiro-ministro já não peço nada, sinto que já tem dado o bastante. Tanto que chega!)

Manuel Alegre continua a sugerir porque não deve ser Cavaco, ainda não percebi o motivo pelo qual deve ser ele, o próximo Presidente da Republica.

Cavaco Silva continua mais preocupado em fazer o trabalho do governo e da oposição que o seu próprio. Estará à espera, como sempre acontece, de um segundo e último mandato para agir, e, infelizmente, vai acontecer.

Finalmente, Teixeira dos Santos apareceu no plenário. Não percebi a utilidade. Quer dizer, pelo menos fiquei a saber que o governo está bem, o plano bem traçado e executado. Talvez estejam todos os outros, (FMI, Fundo Europeu, oposição, população, …), errados.

Posted in Política, Sociedade | Com as etiquetas : , , , , , , | Leave a Comment »

Processo Casa Pia

Posted by Vitor Oliveira em Julho 28, 2010

A leitura do acórdão do processo da Casa Pia foi adiada para o dia 3 de Setembro. Facto que não me surpreende. (Aliás seria desumano se não houvesse adiamento. Os sete arguidos e o bem composto, numericamente claro, colectivo de juízes não deve ser ocupado, sobretudo numa altura propicia a férias, apenas porque um grupo de crianças desvairadas decidiu inventar uma história. Para além do mais só um dos arguidos se encontra detido.)

Ao fim de cinco anos o que custa esperar mais algum tempo?

A ironia foi mais forte. Já enfada todo este processo, a incompetência de alguns profissionais ou a sua propensão para ceder a pressões é, cada vez mais, uma constante. Mas repito, não estou a acusar ninguém, todos são inocentes até prova em contrário, veremos se haverá prova, ou tentativa de provar algo. Quer do processo em si, quer da morosidade do sistema de Justiça.

“O adiamento é a arte de manter o ontem.” Don Marquis

Posted in Leis, Política | Com as etiquetas : , , , | Leave a Comment »

“O CDS quer ser o quê?”

Posted by Vitor Oliveira em Julho 28, 2010

O CDS quer ser o quê? O CDS, no meu entender, não quer ser nada: já é! Quem tem mais interesse na coligação da direita? 1. Com o actual panorama político é necessário a continuação de políticas austeras e pouco consensuais. Estas medidas nunca apelam ao voto, não são medidas populistas como tal provocam a perda de votos. Votos esses que, na sua maioria, serão conquistados pelo partido ideologicamente mais próximo daquele que constitui governo. Resumindo: neste panorama político e com o PSD no governo o CDS ganhará votos. 2. O PSD encontrou a estabilidade aparente depois de um período bastante atribulado, mas as adversidades ainda não chegaram. Só nessa altura as birras internas irão renascer, agradará por isso ao líder social-democrata possuir fortes aliados políticos.

Assim como Paulo Portas tentou unir os três maiores partidos Portugueses num Governo sem Sócrates, acredito que este tema, por enquanto, seja mais um faits divers. Não se trata de política, muito menos de algo sério. Especulações no sentido de chamar a atenção e conhecer a opinião dos eleitores, ou então de marcar presença. Espero que não seja o segundo caso, existem formas mais úteis, para todos nós, de mostrar trabalho.

“É de suprema importância atacar a estratégia do inimigo.” Sun Tzu

Posted in Política | Com as etiquetas : , , , | Leave a Comment »

Manuel Alegre, o candidato

Posted by Vitor Oliveira em Junho 26, 2010

Manuel Alegre iniciou a pré-campanha para as eleições presidenciais, confesso que fiquei desiludido com o discurso do candidato socialista.

Manuel Alegre criticou, criticou mais uma vez e voltou a criticar o realismo de Cavaco Silva. Afirmou que, “um Presidente da República não pode nunca dizer que Portugal vive uma situação insustentável, porque isso cria dificuldades ao próprio país”. Disse ainda, que “foi durante o consulado do então primeiro-ministro Cavaco Silva que se investiu muito mais no betão do que nas pessoas e que o endividamento cresceu, nessa altura, cerca de dez por cento.”

(Qual a aposta que o governo faz nas pessoas? De certeza que não é fechando escolas e obrigando alguns alunos a percorrer diariamente mais de 50km para ter direito à educação.)

Vou repetir uma frase de Manuel Alegre “é preciso ter uma visão do país que não confunda Portugal apenas com um manual de finanças”.

Posted in Media, Política | Com as etiquetas : , , | Leave a Comment »

Bagão Félix, porque sim…

Posted by Vitor Oliveira em Junho 17, 2010

Quarta-feira, 16 de Junho, em pleno almoço no Estoril um grupo de cem mulheres decidiu dar voz aos desejos de alguns rostos da direita nacional. No fundo este pedido de candidatura Presidencial endereçado a Bagão Félix não é só do Movimento Mulheres Século XXI, é também a vontade de Paulo Portas e de rostos que acreditam que a direita necessita de uma segunda candidatura.

Entre outras frases é possível ler na carta que “não existem em Portugal muitas pessoas com a capacidade de representar um povo MAIORITARIAMENTE católico.” Se temos um país maioritariamente católico considero que o maior problema não será escolher um candidato católico, muito menos com capacidade de o representar, mas sim escolher um bom candidato. Aliás não me parece que seja abonatório para a religião católica esta promiscuidade entre política e fé, talvez abonatório para a política, neste caso está tudo dito e estão compreendidas estas “cem mandatárias”.

Não é correcto reduzir a escolha de um candidato à sua vertente católica muito menos reduzir a força da Igreja a um candidato Presidencial. Ter uma base católica, para mim como católico, é importante em muitos aspectos mas não é essa a qualidade indispensável a um candidato a Presidente da República.

No entanto, para bem da sociedade e dos contribuintes, é necessário um candidato diferente, a direita só tem a ganhar com duas candidaturas numa primeira volta. Ter dois candidatos, como exemplificou Pedro Santana Lopes, não é sinónimo de derrota. Não se deve procurar justificações desta magnitude. É necessário um Presidente que se preocupe com os verdadeiros problemas do país e que apoie a rápida resolução das reais dificuldades nacionais e não alguém que entre nas guerras demagogas que não levam a lado nenhum. Existem problemas de fundo, existem avanços sociais para o bem estar de todos e não apenas da maioria. Há que distinguir, começar pelo que interessa.. .

Posted in Política, Sociedade | Com as etiquetas : , , , | 1 Comment »

O 10 de Junho

Posted by Vitor Oliveira em Junho 11, 2010

O 10 de Junho é um dos dias mais relevantes do calendário nacional. Dia em que se cativam os contribuintes a lutar, defender (e a embolsar, claro está) um Portugal melhor, um país mais capaz e solidário. A juntar a toda a motivação habitual, este ano, assistimos a um amplo aparato político . O Presidente da República, Cavaco Silva, sublinhou qual deve ser o rumo, não se ficou pela motivação, sugeriu, o que cada vez mais deve ser valorizado….

Para quem tem andado despercebido o Presidente da República fez um sumário: O desemprego “é o maior flagelo da nossa economia”; o pior da nossa crise são, os “jovens que se interrogam sobre o futuro”, as “famílias que fazem contas à vida”, bem como todos aqueles “que temem pelo seu emprego”. O Sr. Presidente vai-me desculpar mas, que tal incentivar a sociedade à coerência? Compreendo esta dificuldade, sobretudo quando existem deputados que acumulam vários cargos, quando a redução do numero de deputados provoca tanto escândalo. É fácil falar, mas quando chegou a hora de agir, interessou mais a liberalização do aborto, os casamentos homossexuais, a liberalização das drogas leves, que a resolução dos problemas de fundo que realmente afectam o país.

Diz Cavaco Silva que “os sacrifícios devem ser repartidos de forma equitativa e justa”. Foi neste momento que relembrei a redução dos ordenados do governo e fiz a comparação com aquilo que sucedeu em Espanha. Portugal, um país que possui um dos ordenados mínimos mais baixos da Europa, afinal é rico nos cortes com o sistema político. Coerência?

Para finalizar quero sublinhar uma das frases que o Presidente da República disse hoje, “não foi com o desalento que se construiu Portugal”. Considero que não tenha sido mas, infelizmente, tudo muda. Mudaram-se as gentes. Foi-se o alento e com ele fugiram também os lideres sabedores e capazes, vieram os compadrios políticos, desapareceu a visão futurista e capaz de aproveitar todos os recursos que o país pode oferecer…

Posted in Política, Sociedade | Com as etiquetas : , , | Leave a Comment »

(no coments)

Posted by Vitor Oliveira em Março 29, 2010

Há situações tipicas e atípicas. Existe a normalide e a anormalidade. Até aqui nada de novo… Mas nunca pensei que os atípicos anormais não disfarçassem as suas acções com a “pompa” devida, já nem pedia a circunstância adequada.

E se, como diz Luís Calisto, “Sócrates fizesse como o sr. Jardim, que calunia, insulta e enxovalha diariamente os jornalistas com epítetos de corruptos, traidores, comunas, súcias, fascistas, tolos, incapazes, incultos, vingativos, desonestos, gente reles, mentes recalcadas, bastardos, exóticos, incumpridores de estatutos editoriais, ralé que não toma banho? E as jornalistas de vendidas, descompensadas, sovaqueiras”.

Enfim… “No coments”!
Afinal de contas sobre este tema EU não quero dizer nada. Peço desculpa se de alguma forma perdi a coerência e disse alguma coisa.

Posted in Media | Com as etiquetas : , , , , , , | Leave a Comment »

PSD, no seu melhor!

Posted by Vitor Oliveira em Fevereiro 11, 2010

Afinal Paulo Rangel já não apoia a candidatura de Marcelo Rebelo de Sousa. O Euro Deputado decidiu avançar com uma candidatura à presidência do PSD. Não compreendo o interior deste partido. Parece tudo infundamentado, sem qualquer organização e controlo interno. As posições são constantemente alteradas, é comum ver algum membro do partido a “lavar roupa suja” em praça pública. Apesar das divergências de opiniões serem positivas, devem ser discutidas no interior do partido e aprovada aquela que melhor satisfaz os interesses partidários para que a direcção final do discurso seja uma só.

Devia haver um porta-voz claro, uma imagem única, limpa, conhecida, popular e credível. Serão estas as condições imprescindíveis ao novo líder Social-Democrata. Ainda considero o PSD um brinquedo grande demais para o Euro Deputado. Apesar de todo o currículo e das capacidades de Rangel, ainda não é a hora.

Quanto a Pedro Passos Coelho, tem ideias, um carácter forte, bem como presença e imagem (dos mais importantes aspectos para movimentar massas). No entanto o timing que escolhe para as suas intervenções e alternância de discurso não o favorecem.

Não seria uma boa opção, apesar da clara necessidade de mudança, esperar algum tempo? Manuela Ferreira Leite, ainda pode suster o PSD um pouco mais. Quando o adversário político dos Sociais-Democratas, PS, estiver mais debilitado, a instabilidade social e politica aumentar é a melhor altura para o PSD mostrar força, redenção e carácter.

Posted in blog, Política, Sociedade | Com as etiquetas : , , , , | 1 Comment »

Devaneios do Bloco

Posted by Vitor Oliveira em Janeiro 18, 2010

O Bloco de Esquerda acusa o Partido Socialista de planear um tripé politico com o PSD e o CDS. Não quero criticar o BE muito menos os fundamentos de tal acusação (que devem ser muito bons, haja coragem…), no entanto será estranho se o complot se verificar. Sobretudo quando o PS necessita apenas do assentimento do CDS ou da abstenção do PSD para aprovar o próximo Orçamento de Estado.

Se, como tão bem relembrou Francisco Louçã, bastou um queijo para resolver semelhante problema na ultima minoria socialista, porque motivo Louçã acredita que desta vez o suficiente não chega ao PS? Seria uma excentricidade tentar este “tripé orçamental”, um disparate se ele se consumar. Porém prefiro o disparate a uma negociação com o BE. Mais propostas em torno do subsidio de desemprego são um absurdo. Os desempregados têm acesso ao subsidio de desemprego e a regalias bancárias e fiscais. Por mais que as medidas actuais sejam insuficientes, e eu concordo que o sejam, não é economicamente sustentável que estas sofram um aumento. É necessário fomentar a economia, especialmente quando se prevê o inicio do crescimento económico.

As empresas têm de estar preparadas para acompanhar a retoma. Devem ser dados apoios às empresas e devem ser criadas condições de empregabilidade. (Subsidio de desemprego para a entidade patronal, benefícios fiscais às empresas que contratem desempregados, apoio na qualificação da mão-de-obra, etc.…). Concordo que numa altura de crise será difícil optimizar uma solução, é bem mais fácil atribuir subsídios “à lá balda”. Mas quais os custos finais?

(Saliento as declarações do deputado bloquista, João Semedo, o Bloco irá apresentar 7 propostas para atenuar a falta de profissionais no SNS. Talvez seja desta que os médicos, que fazem falta como médicos, deixem de ser gestores).

Posted in Política | Com as etiquetas : , , , , , | Leave a Comment »

PS, Alvo de injustiças

Posted by Vitor Oliveira em Dezembro 21, 2009

O PS está a ser terrivelmente persseguido. O Presidente da Republica, Cavaco Silva, que de forma descabida atribui a máxima importância ao “desemprego do país, no endividamento do país, no desequilíbrio das contas públicas, na falta de produtividade e de competitividade do nosso país”. Para alem de perceber a importância que o “país” tem para o nosso PR, tal a quantidade de vezes que fala nele, compreendo tambem que Cavaco não vive a política nacional da melhor forma. Não é nem nunca será de bom tom , que os politicos nacionais se esforcem para colmatar aqueles que são verdadeiros problemas de fundo.

E com isto tudo quem sofre é o PS. Não é justo que o PR dite quais as medidas que o governo deve cumprir em primeiro lugar. Ha que definir prioridades, e neste momento, quem se importa com o desemprego e com outras medidas totalmente eleitoralistas?

Gosto tambem da facilidade com que surge a quezília política. O PR nem se pronunciou sobre o casamento homossexual, e é logo acusado. Acusado, provavelmente, por defender outros ideais, outras prioridades e actuar de uma outra forma. Não chega fazer um Decreto-Lei? Seria, talvez, expectável para o PS, que todo o país demonstrasse publicamente a gratidão para com o seu governo. Pois este cumpriu uma promessa e provocou um justo equilibrio social.

Posted in blog, Política | Com as etiquetas : , , , , | Leave a Comment »